Reflexões

Segurança de alimentos aplicada em sua casa

Controle de contaminações alimentares

 O termo “Segurança de Alimentos” significa praticar medidas de controle de contaminações alimentares que possam promover risco à saúde e à integridade física do consumidor. Alimentos seguros são a garantia de qualidade destes e vão desde o campo até o consumidor final.

 Os tipos de contaminações (agentes) podem ser: 1- Físicos (insetos, pedras, plásticos, madeira, metais etc.), 2- Químicos (agrotóxicos, resíduos de metais pesados, resíduos de produtos de limpeza e higienização) e 3- Biológicos (micro-organismos patógenos e deteriorantes).

 Mas o que podemos fazer, em casa, para minimizar esses riscos à saúde? Algumas vezes, medidas simples, mas totalmente efetivas, promovem uma maior qualidade e segurança dos alimentos/produtos alimentícios que consumimos. 

 - Não coloque nenhum objeto estranho em cima da mesa da sua cozinha/sala de jantar – exemplo: caixas de papelão, outros objetos que não sejam utensílios utilizados para alimentos – bolsas, carteiras, celulares, guarda-chuva, caderno, etc...

 Estes objetos podem ser fonte de contaminação tanto para o ambiente da cozinha (que tem que ser o mais limpo possível) quanto para os alimentos que ali serão preparados e consumidos.

 - Lave todos os recipientes antes de usá-los ou guardá-los na geladeira –  garrafas de água, refrigerante, caixas de suco, leite, latas de atum, cerveja, milho, etc. Isso remove as impurezas contidas nas embalagens e evita que, caso contaminada e não higienizada, a contaminação passe para o alimento quando abri-lo e também para a geladeira, contaminando outros alimentos (contaminação cruzada).

 - Tenha tábuas para cortar carne diferentes para manuseio de frango. A carne de frango é um dos alimentos que mais contém bactérias, é reservatório natural da Salmonella, por exemplo, assim sendo, o ideal é ter uma tábua exclusiva para cortar este tipo de carne.

 - Ainda sobre carnes, jamais lavá-las em água corrente antes de cozinhá-la e temperá-la! Muito menos para descongelá-la. A água não vai “limpar” a carne, retirando bactérias que ela possa ter e, pior, essas bactérias se proliferam mais na presença de água e proteína da carne, fazendo com que a contaminação se espalhe. Também ocorre a retirada de grande parte dos nutrientes da carne com a lavagem e perdendo sua suculência natural. Não se preocupe que o cozimento é capaz de eliminar esses micro-organismos, então, pare com o hábito de lavar as carnes (bovina, suína, de frango). O peixe pode ser lavado mas apenas quando inteiro, para higienizar as escamas. E ainda o ato de lavar carne pode contaminar sua cozinha!  Pois a água da lavagem respinga em outros alimentos, na pia e nos utensílios e os micro-organismos presentes contaminam tudo. Então, quando for preparar carne, retire os utensílios de perto, para não contaminá-los.

 - Quando consumir produtos enlatados, retire todo seu conteúdo da Lara e passe para uma embalagem de plástico ou de vidro, tampada, para assim serem guardados na geladeira (não retirar o líquido, por exemplo, no caso de azeitonas; esta salmoura conserva o alimento por mais tempo). Se possível, cole uma etiqueta com a data de validade, para ter maior controle dos alimentos consumidos.

 Quando uma lata é aberta, é rompida a proteção interna de verniz que ela possui e isto faz com que o alimento entre em contato direto com o metal. Se mantido conservado dentro da lata, isto faz com que contamine o alimento, provocando alterações nas características do alimento, tornando-o impróprio para consumo.

 - Mais uma dica sobre produtos enlatados: ao comprar peixes enlatados, prefira eles em ÓLEO e não ao natural. Explico: os peixes podem estar contaminados com metais pesados, como o alumínio e o mercúrio, que são prejudiciais à saúde. Estes podem estar presentes na água. Estes metais pesados são lipofílicos (têm afinidade por gordura). Então, caso o atum enlatado esteja contaminado, estes metais passam para o óleo da conserva! Então, quando forem consumidos, escorra todo o óleo do produto e lave em água quente, para retirar o máximo possível de toxinas. Quando o peixe é enlatado com água, os metais se depositam nele e, ao consumi-lo, estes metais vão direto para o nosso organismo.

 Além disso, o óleo conserva melhor o Ômega 3, que são ácidos graxos essenciais para nossa saúde (inclusive melhora a saúde cardiovascular). Em molho de tomate também é um boa alternativa, pois o licopeno auxilia neste processo, por ser antioxidante , porém não absorve os metais pesados.

Outras Imagens

Comentários