Reflexões

Quaresma é tempo de deserto

O espírito levou Jesus para o deserto

 Quaresma é tempo de deserto. Deserto lembra a libertação do povo de Deus e sua caminhada para a Terra Prometida. Deserto lembra Jesus que, antes de iniciar a atividade profética, o Espírito o empurrou para o deserto. Ficou ali quarenta dias, deixando-se tentar por Satanás; “vivia entre os animais selvagens e os anjos o serviam”.

 Estas breves linhas são um resumo das tentações ou provas permanentes vividas por Jesus, em toda a sua vida até a execução na cruz. Jesus não conheceu uma vida fácil nem tranquila. Viveu na sua própria carne as forças do mal. Sua entrega apaixonada ao projeto de Deus o levou a viver uma existência de conflitos, tensões e oposições.

 “Ficou no deserto quarenta dias”. O deserto será o cenário pelo qual transcorrerá a vida de Jesus. Um lugar adverso, nada acolhedor, é símbolo de provas e dificuldades, tempo perigoso para quem fica abandonado às suas próprias forças mas, também, com a presença do Espírito de Deus, o melhor lugar para aprender a viver o essencial e do essencial: encontrar-se com Deus, consigo mesmo, na missão servindo os irmãos e irmãs.

 “O Espírito empurra Jesus para o deserto”. Não o conduz para uma vida cômoda. Leva-O por caminhos de provação, de riscos e tentações. Procurar o Reino de Deus e a sua justiça, anunciar Deus sem falseá-lo, trabalhar por um mundo mais humano é sempre comprometedor. Assim o foi para Jesus e será para os seus seguidores.

 “Tentado por Satanás”. Satanás significa “o adversário”, a força hostilizadora a Deus e a todos os que se opõem ao seu projeto, no anúncio e na realização do Reino de Deus. Ao longo da sua vida, Jesus irá manter-se vigilante para descobrir o “Satanás” nas circunstâncias mais inesperadas. Estes mesmos tempos de prova temos, também nós, de os viver atentos como Jesus, descobrindo o que há de verdade ou de mentira, de luz ou de trevas, de fidelidade a Deus ou de cumplicidade com a injustiça.

 “Vivia entre animais selvagens e os Anjos o serviam”. Duas imagens contrastantes: As feras, os seres mais violentos da terra, evocam os perigos que ameaçaram Jesus e o Projeto do Pai. Os anjos, os seres mais bondosos da criação, sugerem a proximidade de Deus, que os abençoa, cuida e sustenta.

 Quaresma é, também para nós, viver estes tempos difíceis. Empurrados pelo Espírito de Deus, com os olhos fixos em Jesus e com sua a graça, venceremos as tentações, as tantas injustiças, corrupções, vaidades e egoísmos, na certeza de que “o tempo já se cumpriu e o Reino de Deus está próximo”.

 A Campanha da Fraternidade nos convida a superar toda a violência, iluminando-a com a Palavra de Deus, construindo uma cultura de fraternidade, de paz e justiça, pois somos todos irmãos.

Outras Imagens

Comentários