Reflexões

Pobre povo brasileiro, tão longe de Deus e tão perto de Brasília

Um distanciamento infinito

 Os últimos acontecimentos na história do Brasil mostram um distanciamento infinito entre o povo brasileiro e Brasília. Uma triste e trágica distância. Mostram como nosso povo, por falta de educação política, não sabe o que deseja e nem suspeita das consequências de algumas de suas escolhas. E assim o nosso artigo tem um título que rememora uma frase popular no México: “Pobre México tão longe de Deus e tão perto dos Estados Unidos da América”. Mas vamos aos fatos e a suas dolorosas consequências.

 Começamos pela greve dos caminhoneiros. Greve até agora mal explicada. Afinal, foram os caminhoneiros ou seus patrões que pararam? Óbvio que muitos dos grevistas eram autônomos. Agora até onde eram autônomos? O fato é que a Polícia Federal está investigando e já encontrou provas de que houve locaute. E nossa Constituição proíbe o locaute. Claro que o preço do diesel, da gasolina e do gás estão altos! Disto todos sabem. Mas que o país flertou com a insanidade naqueles dias ninguém pode negar. Quanto absurdo se ouviu e viu pelas estradas brasileiras. Pessoas querendo intervenção militar, pedindo ditadura para ter liberdade. Como? Ditadura e liberdade? Quanta bagunça e burrice juntas. Numa ditadura a greve nem ocorreria. E a intervenção tão desejada veio. Os militares colocaram os caminhões para correr. E de heróis os militares passaram a ser vilões. Somos um povo sem lógica, sem educação e facilmente manipulado.

 Passada a greve me deparo com a notícia de que grupos ligados à classe média brasileira fizeram campanhas contra a vacinação de crianças. Como? E eu achando que nossa burrice estivesse apenas limitada à política. Como não vacinar? E eu pensando que o medo e a falta de informação sobre a importância da vacina tivesse terminado com Revolta da Vacina, ocorrida no Rio de Janeiro no início do século XX. Com tantas informações, blogs, jornais, livros ainda tem gente que acha a vacinação um golpe, uma conspiração? A que ponto chegamos. Consequência desta insanidade é o retorno de doenças já eliminadas do país como o sarampo, poliomielite, catapora...

 E o resumo do Brasil é este: povo pedindo ditadura para ter liberdade, pedindo mais saúde, mas não querendo se vacinar, pedindo militares, mas indignados com a morte do menininho no Rio de Janeiro (fuzilado por um militar). A insanidade ultrapassa fronteiras. O machismo brasileiro na copa do mundo com aqueles vídeos humilhando mulheres russas. “Foi só uma brincadeira” disse um dos machões.

 Para finalizar a triste ópera me deparo com a notícia de que a produção industrial caiu 10,9% por causa da greve dos caminhoneiros (Zero – hora de 05/07). Mais desemprego, aumentos... Pobre povo brasileiro... Pobre Brasil. Mais insanidade vem por aí com as eleições... Se é que elas vão acontecer...

 

Outras Imagens

Comentários