Reflexões

Pensamento Crítico

Todos somos falhos.

 Algumas vezes, passamos por situações delicadas. Falamos e somos mal interpretados, porque o outro tem uma visão de mundo diferente da nossa, ou porque não se esforça para entender o discurso, ou porque possui ideias cristalizadas há muito tempo e não consegue abrir mão daquilo que acredita.

 As redes sociais mostram, principalmente nessa época de política, que a falta de argumentos é maior do que a vontade de buscar o verdadeiro conhecimento. As ofensas ocorrem de forma desmedida e descontrolada. As soluções, para a maioria, são simplistas e sem fundamentos. Existe um apego exagerado na zona de conforto, porque sair dela dá trabalho, e assumir que podemos errar em nossas afirmativas parece nos desvalorizar como pessoas.

 O pensamento crítico passa longe de todos. Há exceções e não estou me incluindo nelas, porque também caio no destempero, vez ou outra, principalmente quando as pessoas não percebem o quanto desconhecem o mundo, que é muito maior do que imaginam. E isso não significa que estou certa o tempo todo, porque isso não é possível. Todos somos falhos.

 Para ilustrar: o pensamento crítico surgiu na Grécia, lá por volta do século VII a.C. Os pré-socráticos se dedicavam a investigar as explicações das causas daquilo que existia e tentavam formular “teorias" sobre o mundo e a natureza. Corrijam-me os historiadores, caso eu tenha falhado na explicação.

 Hoje, a palavra crítica passa por uma descaracterização de significado. A crítica se transformou em um termo pejorativo. Quando fazemos uma crítica, que é nada mais do que analisar o que nos é oferecido de maneira diferente, somos atacados, as pessoas sentem-se ofendidas no seu pensamento, em suas crenças. A maioria vê apenas um lado da moeda, de preferência o seu próprio lado. Existem, sim, pessoas que usam a crítica para desmerecer o outro, mas não é a isso que me refiro. O ponto é que fazer uma crítica não é apontar defeitos, nem tentar mudar a forma de pensar do outro ou substituir suas emoções. O objetivo é evitar o conformismo entendendo enganos ao qual as pessoas se submetem todos os dias.

 O pensamento crítico precisa de tempo para acontecer. E o tempo parece não estar disponível para a maioria. As pessoas têm preguiça de ler textos mais longos, e a desculpa mais utilizada para defender suas posições é a própria alegação de que não tem tempo para perder. Logo, ficam limitadas aos títulos das publicações e tiram suas conclusões a partir deles, sem aprofundarem o que está exposto nas diferentes mídias sociais e nos jornais. O pensamento crítico fica raso e obtuso. Daí surgem as falhas de interpretação e o desconhecimento do todo. Por isso, o ódio pelo virou tendência, virou normal.

 Quando usamos o pensamento crítico, desconfiamos das fontes de informação, sejam elas quais forem. Nos questionamos sobre a veracidade daquilo que ouvimos e lemos. Duvidar é a premissa do pensamento crítico e é o que menos fazemos em nosso dia-a-dia.

 Está mais do que na hora de sairmos da zona de conforto e aprendermos a ver o mundo com outros olhos.

 

Outras Imagens

Comentários