Reflexões

A corrupção em nós

Qual é, afinal, a resposta para mudarmos nossa atitude interesseira?

 Quando escutei o discurso sobre corrupção que Jiddu Krishnamurti, filósofo, escritor, orador e educador indiano, professou a estudantes, em uma escola na Índia, pensei em inúmeras situações que acontecem em nossa sociedade. 

 Enquanto crescíamos, escutamos falarem sobre Deus, Jesus e seus ensinamentos, aprendemos orações e os dez mandamentos. Nossos pais nos orientaram, da forma que puderam, sobre o certo e o errado. Nos puniram, quando saímos dos trilhos e nos elogiaram, quando praticamos o bem.

 Alguns entenderam os conceitos contidos nessas conversar, outros, no entanto, preferiram ignorar. Não tenho uma teoria para justificar a segunda opção. Talvez tenha sido a falta de exemplos práticos, talvez a ausência do medo, talvez a impunidade das leis. Acredito que estudiosos da área comportamental humana possam ter essa resposta. Contudo, apesar dos estudos e possíveis conclusões, aqui estamos nós presenciando a corrupção ser a popstar do momento. Os políticos tornaram-se os ídolos, os astros ovacionados, aplaudidos e amados por nós. O que me leva a concluir que eles refletem quem somos e como agimos, ou seja, a corrupção, a roubalheira, a falta de respeito que eles praticam são iguais ao que nós faríamos, se estivéssemos no lugar deles. 

 E como nós reagimos diante dessa situação? Cruzamos os braços e aceitamos, afinal, ser corrupto é normal. Porém, a cada novo escândalo prometemos que nunca mais votaremos neles. Vamos anular nosso voto. E, quando a vontade de permanecer na zona de conforto se torna ainda mais poderosa, pedimos por intervenção militar - ato que vai contra o Estado Democrático de Direito - porque não temos coragem de assumir nossos erros em tê-los elegido, porque é sempre mais fácil colocar a responsabilidade nas costas dos outros, porque somos egoístas, egocêntricos cheios de boas intenções, quando elas nos beneficiam, quando nos trazem vantagens, mas o pior de tudo, porque somos covardes. 

 Qual é, afinal, a resposta para mudarmos nossa atitude interesseira? Penso que depende única e exclusivamente de cada um refazer a estrutura moral e ética na qual vive para podermos colher algo bom no futuro. 

 Para os interessados no vídeo de Jiddu Krishnamurti segue o link: https://youtu.be/feZXr3E_mf0 

 

Outras Imagens

Comentários